Pedrestre – Valorização da Faixa e Sinal de Vida

Pedrestre – Valorização da Faixa e Sinal de Vida

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) revelaram que 1,24 milhão de pessoas morrem em decorrência de acidentes viários no mundo. Deste total, 22% são pedestres. Diversos fatores são apontados como geradores dos acidentes de trânsito: problemas na infraestrutura e no planejamento viário, na aplicação das leis e, sobretudo, no comportamento dos usuários.

 

Para Maria Cristina Hoffmann, Diretora de Relações Institucionais da AND, atitudes corretas fazem a diferença e garantem a segurança das pessoas, e afirma que “existem diversos fatores de risco que levam aos acidentes com os pedestres. Um deles é comportamento do motorista quando excede a velocidade, consome bebida alcoólica e depois dirige ou quando ele usa o celular ao volante”.

Resultado de imagem para pedestre faixa

Apesar de todos os esforços para que os condutores tenham responsabilidades no trânsito, os pedestres também devem estar atentos. Pesquisas já comprovaram que eles são mais vulneráveis na convivência no trânsito. Por isso, a atenção na hora de andar nas ruas deve ser constante. Segundo Maria Cristina, “66% dos pedestres não olham para os dois lados ao atravessar a rua. Muitos deles atravessam a rua conversando e não prestam atenção se o sinal está aberto ou se vai abrir, 74% atravessam fora da faixa e 34% não olham e não enxergam o ciclista dos lados da via.”

Usar a faixa, sinalizar ao atravessar e não se arriscar em locais perigosos são algumas das atitudes importantes para evitar atropelamentos e ser um pedestre responsável. “É necessário que haja essa responsabilidade compartilhada entre pedestres e motoristas para que todos podem viver pacificamente nas ruas”, destaca a Diretora de Relações Institucionais da AND.

Fique por dentro de algumas dicas oferecidas pelo Guia do Pedestre Consciente da Associação Brasileira de Educação de Trânsito (Abetran):

Procure fazer contato visual com o motorista. Quando isso acontecer, você terá certeza que foi visto e atravessará com maior segurança. A mesma coisa vale para o motorista;

Sinalize seus movimentos. Estenda o braço se pretender atravessar em uma faixa sem sinalização luminosa e só atravesse quando, realmente, todos os veículos estiverem parado. Além disso, olhe sempre para os dois lados;

Quando houver faixa, atravesse sobre ela. Mesmo que você tenha que caminhar alguns passos, vale a pena. Faça o mesmo quando existirem passarelas ou locais exclusivos destinados à travessia;

– O celular desvia, também, a atenção dos pedestres. Por isso, o melhor a fazer é parar e atender ao celular em um local seguro;

– Quando não houver sinalização ou passagem para pedestres, atravesse em linha reta, longe de curvas. Sair de trás de ônibus, caminhões, árvores ou grandes objetos é muito perigoso. Lembre-se que você precisa ver e ser visto!

– Quando descer de um ônibus ou de outro veículo espere que ele pare completamente. Só depois atravesse a rua e passe atrás do ônibus;

– Nas calçadas, procure andar longe do meio-fio e quando estiver em grupo, o mais seguro é andar em fila indiana;

Nas estradas, ande no acostamento em sentido contrário ao dos veículos. Roupas claras são imprescindíveis!

– As crianças são pouco visíveis nas ruas. Por isso, elas não devem atravessar a rua sozinhas. Um adulto deve estar junto e segurá-la pelo punho. Assim, há menor possibilidade dela “escapar”.

– No Trânsito, Dê Sentido à Vida.

Esses são alguns cuidados que um pedestre também precisa começar a ter para evitar acidentes. “Por isso é necessário que haja essa responsabilidade compartilhada entre pedestres e motoristas para que todos podem viver pacificamente nas ruas”, finalizou Maria Cristina.

 

FONTE: Portal Boa Vontade.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Acessibilidade